Companhia de teatro do Hospital Madre Teresa completa 15 anos

Publicado em: 15/4/2020

 

A Cia de Teatro além de atuar internamente e estrategicamente em empresas parceiras realiza projetos sociais nas comunidades assistidas pelo HMT

O teatro é uma arte completa que abrange diversas competências, proporcionando ao público uma experiência enriquecedora, seja retratando uma situação hipotética ou real, promovendo uma função social e emocional!

A Companhia de Teatro do Hospital Madre Teresa (HMT), surgiu em 2005 com o objetivo de entreter, educar e comunicar de maneira lúdica. Nesta terça-feira (14/04), a Cia de Teatro do HMT completou 15 anos. “Foram mais de 42 peças escritas, 800 apresentações na Instituição e em empresas parceiras, e mais de 100 colaboradores e médicos atuando”, conta o coordenador e fundador da Cia de Teatro, Claudinei Penha.

Peça “Como Tudo Começou”, em 2009.

Segundo ele, tudo começou após a apresentação teatral “O Bom Samaritano”, peça dirigida pela Waldirene Batista, atual coordenadora da Qualidade. “Após o sucesso desta apresentação, a Irmã Penha, (coordenadora da UTI 3 naquela época) me incentivou a montar uma Companhia de Teatro no Hospital. Eu não tinha experiência, mas aceitei o desafio e em 2016 formei em Artes Cênicas pela PUC-MG”, relata.

Apresentação da comédia “Quarto 907”, na SIPAT 2018.

Ao longo desses anos, o projeto expandiu e em 2017, a diretora geral do Hospital Madre Teresa, Irmã Fabiana Cândido convidou o fundador da Companhia para dar aulas de teatro em duas comunidades assistidas pelas Irmãs: a Casa do Pequeno Cristo e Associação Cruz de Malta. “Mesmo sem ter experiência com crianças aceitei o desafio e hoje sou apaixonado pelo projeto. Fico contando os dias para as próximas aulas”, conta Claudinei.

Aula de Teatro com as crianças do Pequeno Cristo.

Nesses dois anos e meio de projeto, cerca de 320 crianças, entre 6 e 13 anos participaram das aulas de teatro. De acordo com os educadores, os benefícios da atividade são muitos: aguça os sentidos (visão, audição, tato, olfato e o sentido poético), desperta o indivíduo para as capacidades criadoras, proporciona experiências coletivas prazerosas, de modo que os participantes sintam-se cativados pela prática teatral.

Aula de Teatro com as crianças da Cruz de Malta.

Após iniciar as aulas com as crianças, um novo projeto surgiu: “o ProJovem”, voltado para adolescentes com idade entre 14 e 18 anos. Nele são abordados temas mais complexos como o tabagismo, alcoolismo, feminicídio, entre outros. Para Claudinei, o teatro funciona como um elo entre a cultura, a sociedade e o indivíduo. E uma arte que ajuda a entender os grandes dilemas sociais e individuais, pois exige do ator e do público, participação ativa, instigando o olhar sobre diferentes realidades.

“Quebrando Barreiras”: encontro das comunidades assistidas pelo HMT.

Projetos futuros estão por vir, dentre eles a capacitação dos jovens para campanhas internas e externas e um curso de teatro voltado para a terceira idade. “A gente não pode parar. Para mim não existe nada melhor do que levantar da cama e ir trabalhar. Me sinto realizado, faço o que amo, com amor e por amor”, expõe Claudinei.




Companhia de teatro do Hospital Madre Teresa completa 15 anos

Publicado em: 15/4/2020

 

A Cia de Teatro além de atuar internamente e estrategicamente em empresas parceiras realiza projetos sociais nas comunidades assistidas pelo HMT

O teatro é uma arte completa que abrange diversas competências, proporcionando ao público uma experiência enriquecedora, seja retratando uma situação hipotética ou real, promovendo uma função social e emocional!

A Companhia de Teatro do Hospital Madre Teresa (HMT), surgiu em 2005 com o objetivo de entreter, educar e comunicar de maneira lúdica. Nesta terça-feira (14/04), a Cia de Teatro do HMT completou 15 anos. “Foram mais de 42 peças escritas, 800 apresentações na Instituição e em empresas parceiras, e mais de 100 colaboradores e médicos atuando”, conta o coordenador e fundador da Cia de Teatro, Claudinei Penha.

Peça “Como Tudo Começou”, em 2009.

Segundo ele, tudo começou após a apresentação teatral “O Bom Samaritano”, peça dirigida pela Waldirene Batista, atual coordenadora da Qualidade. “Após o sucesso desta apresentação, a Irmã Penha, (coordenadora da UTI 3 naquela época) me incentivou a montar uma Companhia de Teatro no Hospital. Eu não tinha experiência, mas aceitei o desafio e em 2016 formei em Artes Cênicas pela PUC-MG”, relata.

Apresentação da comédia “Quarto 907”, na SIPAT 2018.

Ao longo desses anos, o projeto expandiu e em 2017, a diretora geral do Hospital Madre Teresa, Irmã Fabiana Cândido convidou o fundador da Companhia para dar aulas de teatro em duas comunidades assistidas pelas Irmãs: a Casa do Pequeno Cristo e Associação Cruz de Malta. “Mesmo sem ter experiência com crianças aceitei o desafio e hoje sou apaixonado pelo projeto. Fico contando os dias para as próximas aulas”, conta Claudinei.

Aula de Teatro com as crianças do Pequeno Cristo.

Nesses dois anos e meio de projeto, cerca de 320 crianças, entre 6 e 13 anos participaram das aulas de teatro. De acordo com os educadores, os benefícios da atividade são muitos: aguça os sentidos (visão, audição, tato, olfato e o sentido poético), desperta o indivíduo para as capacidades criadoras, proporciona experiências coletivas prazerosas, de modo que os participantes sintam-se cativados pela prática teatral.

Aula de Teatro com as crianças da Cruz de Malta.

Após iniciar as aulas com as crianças, um novo projeto surgiu: “o ProJovem”, voltado para adolescentes com idade entre 14 e 18 anos. Nele são abordados temas mais complexos como o tabagismo, alcoolismo, feminicídio, entre outros. Para Claudinei, o teatro funciona como um elo entre a cultura, a sociedade e o indivíduo. E uma arte que ajuda a entender os grandes dilemas sociais e individuais, pois exige do ator e do público, participação ativa, instigando o olhar sobre diferentes realidades.

“Quebrando Barreiras”: encontro das comunidades assistidas pelo HMT.

Projetos futuros estão por vir, dentre eles a capacitação dos jovens para campanhas internas e externas e um curso de teatro voltado para a terceira idade. “A gente não pode parar. Para mim não existe nada melhor do que levantar da cama e ir trabalhar. Me sinto realizado, faço o que amo, com amor e por amor”, expõe Claudinei.