DOENÇA ARTERIAL OBSTRUTIVA PERIFÉRICA PODE SER UM ALERTA PARA DOENÇAS DO CORAÇÃO

Publicado em: 16/9/2020


Você sabe o que é Doença Arterial Obstrutiva Periférica - DAOP? Primeiramente, para compreender melhor o tema, é preciso entender que as artérias são vasos que saem do coração e irrigam todo o corpo com sangue rico em oxigênio. É o que explica o médico Cirurgião Cardiovascular do Hospital Madre Teresa (HMT), Dr. Marcelo Ivo.

Segundo ele a DAOP se caracteriza pela obstrução de algumas dessas artérias ao longo do tempo, diminuindo gradativamente a irrigação sanguínea para a região nutrida pela artéria doente. Quando esse fluxo é interrompido de forma aguda e severa, pode causar dor extrema na região acometida.

Causas

Os fatores de risco para a doença são variados.  Portanto, é preciso ficar atento aos sinais e sintomas para se cuidar. Hipertensão arterial, diabetes descontrolada, obesidade, tabagismo, sedentarismo, histórico de infarto do miocárdio e arritmias cardíacas são pontos chave para o acometimento da doença.

De acordo com o Dr. Marcelo, esses fatores podem desencadear a aterosclerose, que é o acúmulo de placas de gordura nas artérias fazendo com que elas fiquem obstruídas ao longo do tempo. “A aterosclerose pode se manifestar em até 10% da população, e é responsável por 95% das coronariopatias (doenças relacionadas ao coração), 75% dos AVCs e 85% das claudicações intermitentes dos membros inferiores, ou seja, cãibras, dormência, e aperto ou fadiga muscular que ocorrem nas pernas com o exercício físico”, explica o cirurgião cardiovascular.

Sintomas e tratamento

Os sintomas ocorrerão no segmento irrigado pela artéria obstruída. No caso dos membros inferiores, por exemplo, as dores geralmente se iniciam nos dedos dos pés, podendo expandir para todo o pé, tornozelo e perna. “Quando a obstrução arterial ocorre de forma aguda, a dor geralmente é intensa, contínua e não melhora com analgésico comum” alerta o médico.

Em casos mais graves, o paciente pode perceber o esfriamento da parte atingida, palidez seguida de dormência e até dificuldade de movimento. “A obstrução arterial é uma doença grave e pode ser tratada com medicamentos ou cirurgias, como por exemplo, a ponte de safena que, consiste na implantação de pontes, ‘by-pass’, advindas de enxertos de artéria ou de veia. Normalmente o tratamento segue um protocolo que tem como objetivo, diminuir os sintomas e a progressão da doença, além de prevenir as complicações cardiovasculares secundarias”, finaliza.




DOENÇA ARTERIAL OBSTRUTIVA PERIFÉRICA PODE SER UM ALERTA PARA DOENÇAS DO CORAÇÃO

Publicado em: 16/9/2020


Você sabe o que é Doença Arterial Obstrutiva Periférica - DAOP? Primeiramente, para compreender melhor o tema, é preciso entender que as artérias são vasos que saem do coração e irrigam todo o corpo com sangue rico em oxigênio. É o que explica o médico Cirurgião Cardiovascular do Hospital Madre Teresa (HMT), Dr. Marcelo Ivo.

Segundo ele a DAOP se caracteriza pela obstrução de algumas dessas artérias ao longo do tempo, diminuindo gradativamente a irrigação sanguínea para a região nutrida pela artéria doente. Quando esse fluxo é interrompido de forma aguda e severa, pode causar dor extrema na região acometida.

Causas

Os fatores de risco para a doença são variados.  Portanto, é preciso ficar atento aos sinais e sintomas para se cuidar. Hipertensão arterial, diabetes descontrolada, obesidade, tabagismo, sedentarismo, histórico de infarto do miocárdio e arritmias cardíacas são pontos chave para o acometimento da doença.

De acordo com o Dr. Marcelo, esses fatores podem desencadear a aterosclerose, que é o acúmulo de placas de gordura nas artérias fazendo com que elas fiquem obstruídas ao longo do tempo. “A aterosclerose pode se manifestar em até 10% da população, e é responsável por 95% das coronariopatias (doenças relacionadas ao coração), 75% dos AVCs e 85% das claudicações intermitentes dos membros inferiores, ou seja, cãibras, dormência, e aperto ou fadiga muscular que ocorrem nas pernas com o exercício físico”, explica o cirurgião cardiovascular.

Sintomas e tratamento

Os sintomas ocorrerão no segmento irrigado pela artéria obstruída. No caso dos membros inferiores, por exemplo, as dores geralmente se iniciam nos dedos dos pés, podendo expandir para todo o pé, tornozelo e perna. “Quando a obstrução arterial ocorre de forma aguda, a dor geralmente é intensa, contínua e não melhora com analgésico comum” alerta o médico.

Em casos mais graves, o paciente pode perceber o esfriamento da parte atingida, palidez seguida de dormência e até dificuldade de movimento. “A obstrução arterial é uma doença grave e pode ser tratada com medicamentos ou cirurgias, como por exemplo, a ponte de safena que, consiste na implantação de pontes, ‘by-pass’, advindas de enxertos de artéria ou de veia. Normalmente o tratamento segue um protocolo que tem como objetivo, diminuir os sintomas e a progressão da doença, além de prevenir as complicações cardiovasculares secundarias”, finaliza.